✿ܓܓ
um cantinho especial pra você ,de prosa en prosa vai surgindo uma pagina encantada cheia de cor e magia que a todos encantam sejam bem vindos a o Cheiro de hortela ✿ܓܓ✿ܓO ar tem cheiro de hortelã...ou borboletas. Não sei.

A cozinha é um pedaço da casa onde eu gosto de ficar.
Ali,tudo cheira a ela.
Uma mulher no canto me vigia mesmo sem presença física.
Converso com ela.
Ela reflete no chá que bebo.
Acho que de hortelã - não me lembro... -
Canto canções que falam de amor.
E entre as palavras a chamo.
E ela quer saber a noção exata do que sinto.
Ainda não aprendi a traduzir isso.Imito o vento.
Preciso de palavras novas.Mas,são sempre as mesma que me lembro quando penso nela.
Amor.
O ar tem cheiro de hortelã...ou borboletas.Não sei
Perdi um pouco da memória de mim.
Me encontro nela e nesse vago encontro com a essência que ela deixou aqui...

Mariana Gouveia

domingo, 4 de setembro de 2011

A simplicidade com amor se modifica o mundo








Cercada de mato, galinhas e cavalos, Erica nutricionista quase 40 anos passa todos os seus dias em seu sítio na serra no espírito santo. A paz e o cenário do lugar ainda inspiram sua arte.


Com os hábitos dos sitiantes "Sempre que posso, levanto antes de o dia clarear e vejo o nascer do Sol na varanda, aquecida por uma manta de lã e uma xícara de café", . Para ela, que tinha uma rotina agitada em são paulo, prazeres singelos como este são o verdadeiro luxo. Desde 2005, quando descobriu este sítio cravado na serra rendeu ao estilo da vida no campo. Com a ajuda dos antigos caseiros, ela faz questão de manter no rancho os costumes dos visitantes: José Lúcio cuida da roça e dos bichos e Maria de Lourdes, sua esposa, arruma a casa e prepara queijos e doces para receber a proprietária nos fins de semana acabaram ficando quando comprei o sitio fiquei com os caseiros. "Aqui, a vida acontece com simplicidade e capricho, seguindo receitas bem tradicionais",







Chapéu de palha, camisa xadrez, calça pula brejo,vida simples leva seu João sem frescura ou sofisticação, apenas vivendo cada dia na lida pra não faltar o pão.

Eles precisam de tão pouco, contenta-se com o mínimo, refrigerante quase nunca,frango assado só no domingo.

Uma vez por mês, lá na venda e ele é freguês, paga em mercadoria animais ou grãos, nesse tempo dinheiro não era preocupação..

A moeda é a troca, na roça nada se perde ou se joga fora.

O resto de comida alimenta os porquinhos que mais tarde viram torresminhos, também se vende a carne, a pele e a banha...mais moeda de bar ganha.

Lá não tem televisão, o maior divertimento e tocar a viola, e conta uns causo bão.

Prosear enquanto espera estiar pra modo de começar a terra arar e depois poder plantar.

O Luxo é Lixo não faz falta pra Dona Maria ela prefere do campo a calmaria.

Sua panelas de barro, seu fogão a lenha, a cadeira de balanço, as agulhas e linhas, o mais importante compromisso jogar o milho paras galinhas.

Vai levando a vida que se leva, sem desânimo ou chateação, na roça se acorda cedo e por isso nunca se deita tarde não.

Aliás, é bom economizar a querosene da lamparina, tem que dar até o fim do mês que é quando se sela o cavalo e vai pra venda outra vez.


Quem há de duvidar que na simplicidade também se encontre felicidade.Assim era minha mãe e assim continua meu pai


Pães, frutas e queijos feitos no próprio sítio acompanham o bate-papo regado a vinho até o pôr-do-sol

Como fazer queijo fresco

Maria de Lourdes Santos, cozinheira do sítio há 20 anos, usa 5 litros de leite recém-tirado da vaca para fazer dois queijos médios (350 g,cada um). Misture 1 colher de sobremesa de coalho no leite coado. Deixe-o descansar por duas horas e, então, mexa levemente com uma colher. Trinta minutos depois, retire o soro que subiu à superfície. Em seguida, a mistura deve ser colocada em fôrmas próprias para queijo. Após três horas, transfira a massa para outra fôrma e escorra o excesso de soro, jogue uma pitada de sal e coloque na geladeira. Em 24 horas, o queijo estará pronto.
leite + amor = queijo
Bom, para quem não sabe, fazer queijo requer um monte de detalhes técnicos, precisão de tempo e temperatura, limpeza extrema e muita paciência. Mas decidi nos poupar de tudo isso e colocar aqui somente as principais etapas da produção de um queijo, e um pouco da boa sensação sobre os leites e seus queijos. A começar pelo mamar! Tem alguma coisa mais gostosa?



Mamíferos à parte… para fazer queijo é até simples, pode tentar em casa, mesmo sem a companhia de um adulto, não tem perigos!

A gente aquece o leite e coloca iogurte ou, aqui, butter milch, que é uma coisa maravilhosa aqui da Alemanha, o sabor é como de uma mistura de iogurte com creme de leite fresco. Este produto é o leite que se separa do creme de leite quando o batemos para fazer manteiga. Maravilha ter isso disponível assim, né? É como um creme de leite light, azedinho como iogurte.



Depois de algumas horas temos quase um iogurte. Mantendo a temperatura, colocamos o coalho. Esperando mais algumas horas e leite está coagulado como um flan, e aí podemos cortar.



Depois de cortar, esperaramos novamente um tempo e o soro sobe. Se você quer um queijo mais fresco, pode colocá-lo logo depois nas forminhas e consumir rápido, se quer um queijo mais duro, que pode envelhecer umas semanas, mexe-se para retirar ainda mais soro. É o caso deste da foto. Outra dica para escolher entre queijo mais fresco ou mais duro é o tamanho dos cubinhos cortados: quanto menores, mais soro se retira, mais duro fica o queijo.



Depois colocamos nas formas para escorrer o soro. Depois de 15 minutos, viramos o queijo, depois de meia hora, novamente, e assim vai: uma hora, duas horas, quatro horas, oito horas…. Até que você sente vontade de retirá-lo da forma, seja para curar ou para comer. Olha que maravilha!



O processo acima foi feito com leite de vaca. A etapa do butter milch ou do iogurte pode ser suprimida, passando diretamente para o coalho. Causando uma diferença no queijo que eu ainda não consegui notar, já que nossa experiência foi muito mais sinestésica que termométrica.

Fizemos também bastante queijo com leite de ovelhas e com leite de cabra. Olha que lindas!



O leite de cabra fica bem molinho para cortar e o de ovelha mais parecido com o de vaca, firme.Na foto abaixo, os cubos de leite-flan de ovelha, cortados bem grandes, para obtermos um queijo fresco. E a primeira virada na forma, depois de 15 minutos.



E o queijo de cabra, bem cremoso, na primeira e única virada, antes de virar comida boa! E do lado direito um outro exemplo de queijo de cabra fresco, porém mais firme, que teve cubinhos menores antes de ir para a fôrma, e mais viradas na fôrma.

3 comentários:

  1. Preciso de uam nutricioniiista =D

    ahahaha

    peso imenso!!!


    Flávio

    ResponderExcluir
  2. Oi amiga, adorei a receita do queijo, pena eu não ter uma vaquinha, rsrsrs. Pois o leite pasteurizado não fica com o mesmo sabor.
    Boa semana.
    Beijos de violeta.
    Lua.

    ResponderExcluir
  3. Flavio jajjajja que Simpático, eu também preciso de um nutricionista, mas para ganho de peso ..

    Não admira que você ficar em um lugar de luxo e que a verdadeira felicidade verdadeira é a simplicidade tão simples ... uma xícara de café com um cobertor cada dia para ver nascer do sol na varanda ... beijos

    ResponderExcluir

Que bom que veio aqui espero que goste deste cantinho mineiro..

Seguidores

cursor

estrelinhas

brillho


fundo





....

cha quentinho ummmm

cha quentinho ummmm

mensageiro dos ventos